×

Erro

Passed variable is not an array or object, using empty array instead

“Minas Gerais – 300 Anos de Literatura” propõe um resgate histórico e diverso da literatura mineira

Um olhar mais apurado sobre a formação literária do estado é a proposta da nova edição do Suplemento Literário de Minas Gerais. Ao partir da criação da Capitania das Minas Gerais, o caderno celebra os 300 anos de Minas e propõe reflexões a respeito da história mineira contada por meio de páginas e mais páginas ao longo de três séculos.

A edição especial comemorativa do Suplemento Literário foi lançada nesta quarta-feira (2/12), juntamente com as comemorações do aniversário do Estado, em evento com a participação do governador Romeu Zema e do secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira. Ela está disponível nas versões digital e impressa.

Para Leônidas Oliveira, o caderno é muito mais do que um registro literário e histórico desse momento tão importante para os mineiros. “Minas Gerais foi pioneira na produção literária do país. Foi em nosso estado que começaram os primeiros movimentos, com narrativas sobre os costumes da época e, claro, sobre os desejos de liberdade. Resgatar essa história na Literatura, por meio do Suplemento Literário, é uma forma de preservar e fortalecer a memória e a identidade mineiras, celebrando toda a diversidade que nos caracteriza”, destaca o secretário.

Organizada por Jacyntho Lins Brandão, a edição “Minas Gerais – 300 Anos de Literatura” reúne textos de acadêmicos, escritores e estudiosos que se debruçaram sobre a trajetória literária mineira. Em mais de 40 páginas, o Suplemento Literário desvenda as muitas “Minas” que inspiraram escritores das mais variadas formas, tanto em aspectos geográficos e históricos quanto em sociais e econômicos.

Acesse AQUI o Suplemento Literário de Minas Gerais.

Ao reunir trabalhos sobre a Literatura em Minas, de Minas e sobre Minas, este número do Suplemento Literário se propõe oferecer um vislumbre do tricentenário a partir do momento em que o território recebeu a alcunha de Minas Gerais. O caderno também contempla registros e estudos sobre a fase em que a região já era ocupada, mas ainda não havia sido incorporada à Colônia.

“Nessa história convergem mais que 300 anos, procedentes de quando assim não era ainda nomeado. Não se pretende um levantamento exaustivo, mas a marcação de aspectos e momentos expressivos, de modo que a parte fale de algum modo pelo todo, na diversidade de vozes, lugares e temporalidades”, explica o organizador da edição, Jacyntho Lins Brandão.

Para além de um olhar em direção ao passado, o Suplemento Literário de Minas Gerais repensa a Literatura no estado relembrando a história de outros povos que contribuíram para a formação cultural em Minas. As narrativas de escravizados e indígenas complementam as páginas dessa edição, reverberando toda a pluralidade mineira contada de diferentes formas.

A edição impressa do Suplemento Literário de Minas Gerais Especial 300 anos de Literatura foi viabilizada graças a um esforço da Superintendência de Bibliotecas, Museus, Arquivo Público e Equipamentos Culturais, da Diretoria do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas, da Associação Amigos da Biblioteca, por meio de patrocínio da Gerdau.
 

.